• Envie para um amigo

    Favor Preencher
    Favor Preencher
    Insira um Email Válido
Artigo

O que Torna a Reforma de Uma Igreja Possível?

John Folmar 08 de Dezembro de 2014 - Igreja e Ministério

Plantação de igrejas parece estar na moda em nossos dias. Mas eu diria que revitalizar igrejas existentes é, no mínimo, tão importante para a causa do reino. De fato, revitalizar uma igreja não saudável é como ter “dois pelo preço de um”. Você não apenas estabelece uma base de operações reformada e vibrante para o evangelho, mas também elimina o fraco testemunho que havia antes. Igrejas doentes são, como afirma Mark Dever, “forças anti-missionárias terrivelmente eficazes”. Elas anunciam à comunidade: “É assim que um cristão é! É assim que um cristão é!”. Tal propaganda enganosa difama o evangelho e, de fato, impede o evangelismo nas proximidades daquela região. Mas, quando uma igreja é transformada, o evangelho cresce e avança à medida que a comunidade é confrontada com um genuíno testemunho corporativo de Cristo.

Eu testemunhei duas reviravoltas em igrejas, uma em Louisville, Kentucky, EUA, e outra em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Em ambos os casos, as igrejas foram completamente transformadas, da pregação à adoração corporativa, à cultura da igreja, ao impacto evangelístico nos bairros vizinhos. Em ambas as reviravoltas, embora não possa reivindicar o crédito por nenhuma delas, eu desfrutei de um lugar na primeira fila para observar a reforma radical de uma igreja.

O que tornou aquelas reformas de igreja possíveis?

Pregação

A força motriz por trás de qualquer reforma verdadeira será a Palavra de Deus. Ao operar no meio de uma congregação, a Palavra prepara e amacia o solo árido e produz mudança espiritual. Em Dubai, havia membros fiéis que labutavam há anos, mas sem grande resultado; eles não estavam sendo apoiados de modo consistente pelos sermões dominicais. Eles tentavam corajosamente fortalecer a comunidade, mas algo estava faltando. Porém, quando a pregação se tornou consistemente expositiva e centrada no evangelho, foi como se alguém jogasse um palito de fósforo aceso na gasolina. O ministério se multiplicou. Quando a igreja começou a passar pela reviravolta, um membro de longa data comparou a pregação a um fogo de artilharia semanal. O persistente lançar da Palavra amenizou a oposição e abriu caminhos para que mais ministérios frutíferos surgissem no meio do corpo.

O púlpito deve conduzir o esforço de reforma de uma igreja e isso significa pregar expositivamente, com ênfase no evangelho e aplicações pertinentes à vida da igreja, especialmente naquelas áreas que precisam de reforma. Se o púlpito não estiver firme por trás do esforço, os reformadores provavelmente estão perdendo tempo. É melhor mudar para um lugar onde a Palavra já esteja sendo devidamente pregada e descobrir como aquele ministério pode ser apoiado.

Providência

Igrejas moribundas apenas serão vivificadas se Deus estiver operando nelas. Anos atrás, em Louisville, eu fui membro de uma antiga igreja cujo ministério estava definhando, por várias razões. A maior parte da igreja era de pessoas idosas, muitas das quais ministravam fielmente, mas sem liderança pastoral. As gerações mais novas já haviam abandonado a igreja há muito tempo, e eu podia entender por quê. Além da lealdade familiar, não havia muito que pudesse mantê-los ali. A pregação consistia, basicamente, de histórias triviais sem nenhuma exposição séria das Escrituras. A igreja era conduzida mais pela cultura do que pela teologia e, há muito tempo, a cultura contemporânea a tinha deixado para trás.

Mas, na providência de Deus, havia uma outra igreja na região (que se reunia em uma escola) onde o evangelho era claramente proclamado. Essa igreja mais jovem desfrutava de vida, vitalidade e sã doutrina, mas não tinha raízes na comunidade nem um local de culto próprio. A solução óbvia era a fusão das duas congregações. Inicialmente, a ideia de uma fusão foi rejeitada pela igreja mais antiga e necessitada. Elas eram diferentes demais na teologia, na música, na cultura e em todos os outros pontos. Mas Deus começou a, soberanamente, remover os oponentes dessa fusão e, gradualmente, mudar os corações das pessoas em favor da entrada da nova igreja. Como da noite para o dia – de uma dura oposição para uma aprovação congregacional quase unânime –, Deus providencialmente orquestrou o início de uma nova obra ali em Louisville, uma igreja que permanece vibrante e unidade até hoje.

Com tantas forças direcionadas contra a reviravolta de uma igreja local, isso nunca acontecerá, a menos que Deus a traga à existência. O cuidado providencial de Deus é essencial à reforma de uma igreja e, por esse motivo, oração é essencial.

Parceria

Tente não fazer isso sozinho. Uma reforma de igreja pode ser penosa, ingrata e desencorajadora. O cronograma não é medido em meses, mas em anos. E uma reforma espiritual profunda não costuma ser ostentosa. Deus usa os meios ordinários de graça para dar crescimento ao seu povo e transformá-lo. Igrejas inconstantes podem se tornar impacientes e, durante tempos de dificuldade, é proveitoso ter amigos.

Quando eu comecei a pastorear em Dubai, havia um presbítero em particular que me encorajava nos momentos árduos. Ele era um especialista em encontrar evidências da graça, mesmo quando eu lidava com meus próprios erros pastorais e com os reveses que sempre ocorrem em uma reforma de igreja. Quando elementos cruciais da reforma estavam em risco, ele estava lá para estender a mão no exato momento. Se possível, faça parcerias antes de mergulhar de cabeça num contexto de reforma. Não vá sozinho.

Esforce-se para identificar homens que estejam respondendo ao ministério e permaneça ao lado deles. Considere da mais alta prioridade o discipular homens da congregação para, um dia, serem presbíteros e parceiros no ministério.

Paciência

Quantos pastores são demitidos por tentarem impingir mudanças na igreja antes de a igreja estar pronta? Quantos esforços de reforma são ameaçados pela impaciência de líderes que, talvez, soubessem a coisa certa a fazer, mas falharam em dispender o tempo necessário para ensinar, orar e servir o povo a fim de ganhar a sua confiança e persuadi-los nos pontos que precisavam de reforma? Lembre-se da advertência de Paulo a Timóteo: “Corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina” (2Timóteo 4.2). O fato de você saber quais problemas existem não significa que todos eles precisem ser resolvidos imediatamente.

Quando eu comecei a pastorear em Dubai, alguém me lembrou, de modo proveitoso, de que aquela não era “minha” igreja. Em outras palavras, as pessoas ali e o seu estado de maturidade espiritual eram o fruto do ministério de outro pastor, não do meu. Eu não poderia chegar e esperar que a igreja imediatamente adotasse minhas visões quanto à vida da igreja e ao seu ministério. Isso me libertou para servir com contentamento pessoas que nem sempre partilhavam das minhas convicções sobre a Bíblia ou o ministério. Mas, depois de alguns anos, aquele quadro começou a mudar.

Tenha visão de longo alcance no que se refere à reforma de uma igreja. É proveitoso ter um horizonte de dez a vinte anos. Com uma perspectiva de longo prazo, nós podemos priorizar com mais paciência as áreas da vida da igreja que precisam de mudança. Podemos operar com mais contentamento em um ambiente de ministério imperfeito, até mesmo quando pedimos às pessoas que perdoem também as nossas fraquezas pessoais.

Existem, contudo, duas coisas que um pastor pode começar a mudar tão logo chegue à nova igreja: pregação e membresia. No primeiro dia, você pode sustentar a autoridade das Escrituras na maneira como prega, extraindo os pontos do sermão diretamente do próprio texto e mostrando que você mesmo é governado pelo texto. Segundo, você pode imediatamente começar a entrevistar novos membros, à medida que chegarem. Desse modo, você pode:

  • assegurar-se, tanto quanto possível, de que eles são crentes genuínos;
  • assegurar-se de que eles entendem e podem articular o evangelho;
  • expor as suas expectativas quanto à membresia da igreja;
  • e começar a estabelecer um relacionamento pastoral com os novos membros que chegam, o que, ao longo do tempo, afetará o caráter da igreja como um todo.

Poucas coisas superam uma visão da “primeira fila” de uma reforma de igreja

Por fim, há poucas coisas que superam assistir a uma igreja mudar de doente e irrelevante para bíblica e vibrante. O único modo como isso ocorrerá é se a Palavra de Deus for devidamente pregada. Ainda assim, alguns esforços de reforma falham, a despeito de púlpitos fiéis; o Senhor deve estar operando para mudar a rota do barco. Você terá mais chances de sucesso na maratona se tiver alguns irmãos que estejam labutando com você na obra. Mas, mesmo com todas essas coisas no lugar, você deve ter uma perspectiva de longo prazo para a reforma da igreja. “Eis que o lavrador aguarda com paciência o precioso fruto da terra, até receber as primeiras e as últimas chuvas. Sede vós também pacientes” (Tiago 5.7-8).

Hits: 34983


O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações



John Folmar
Autor John Folmar

John Folmar, casado com Keri, é pai de Ruth, Chloe e Andrew. Mudou-se para Dubai em 2005 para servir na UCCD como Pastor efetivo. Depois de formar-se no...



9Marks
Parceiro 9Marks

O Ministério 9Marks tem como objetivo encorajar as igrejas e seus líderes a cultivarem um ministério saudável, através da...