• Envie para um amigo

    Favor Preencher
    Favor Preencher
    Insira um Email Válido
Artigo

Vantagens e Desvantagens de Plantar ou Revitalizar uma Igreja

Mike McKinley 17 de Novembro de 2014 - Igreja e Ministério

Plantação de igrejas está em voga nestes dias, e essa é uma tendência pela qual eu agradeço a Deus. Mas as estatísticas indicam que milhares de igrejas deixam de existir todos os anos, nos Estados Unidos. Muitas outras igrejas patinam com uma freqüência cada vez menor e uma liderança inadequada. Em alguns casos, pode ser mais estratégico aos plantadores de igreja investir o seu tempo e recursos em revitalizar essas congregações existentes.

Plantação de igrejas e revitalização de igrejas compartilham a mesma meta: ver o estabelecimento de uma igreja que glorifique a Deus onde ela, atualmente, não exista. Ambas as estratégias almejam alcançar comunidades com o evangelho e ambas compartilham algumas dificuldades. Mas cada estratégia traz consigo algumas oportunidades e desafios singulares. Neste artigo, eu apresentarei algumas relativas vantagens e desvantagens em começar uma igreja do zero (plantação) em comparação a revitalizar uma congregação existente (replantação).

As relativas vantagens da plantação de igrejas

1. Uma nova igreja não tem bagagem pessoal (embora o terá se você lhe der algum tempo).

Um pastor mais velho me aconselhou certa vez: “Plante uma nova igreja. Desse modo, ninguém nunca poderá se opor a você dizendo que eles estavam lá antes de você estar lá”. Há verdade nessa afirmação. Se você tiver uma maneira clara e singular como quer que a igreja seja, pode ser mais fácil começar do zero. Você pode fazer as coisas do jeito que quiser e, se as pessoas não gostarem, elas simplesmente vão para outro lugar. Isso pode tornar a jornada de um pastor muito mais tranqüila.

2. Novas igrejas podem fazer um bom trabalho de alcançar novos moradores de uma comunidade.

Alguém que seja novo na cidade pode ser mais atraído para um ministério onde ele ou ela possam chegar e logo se tornar uma parte importante da vida da igreja. Além disso, igrejas existentes nem sempre são socialmente flexíveis; elas podem ter dificuldades em acomodar populações em transição e incluir diferentes tipos de pessoas. Uma nova igreja pode se adaptar melhor a pessoas de contextos socioeconômicos distintos. Isso é particularmente mais estratégico em lugares onde a população esteja crescendo ou mudando rapidamente.

3. Novas igrejas tendem a ter vigor evangelístico.

Novas igrejas geralmente têm um período em seu princípio no qual todos os envolvidos entendem a missão da igreja e estão comprometidos com seu papel nela. Em uma igreja em plantação, não há padrões estabelecidos que restrinjam um evangelismo vigoroso e criativo. Não há nenhuma máquina institucional que precise ser alimentada, nenhum programa que precise ser mantido por causa dos membros de longa data. A igreja compreende que não sobreviverá a menos que saia para alcançar a comunidade.

Os relativos desafios da plantação de igrejas

1. Novas igrejas podem encontrar dificuldades logísticas significativas.

A maioria dos modelos de plantação de igrejas exige que o plantador coordene muitos aspectos logísticos com relativamente pouca mão-de-obra. Em muitas comunidades, é difícil encontrar um lugar para se reunir. Uma vez que um lugar seja encontrado, o plantador ainda precisará pagar por ele, estabelecer programas e procedimentos (como ministério com crianças ou de boas vindas aos visitantes) e encontrar voluntários para montar e desmontar essa estrutura, domingo após domingo. Isso pode ser um fardo insustentável para um pequeno grupo de pessoas que não tenha um compromisso duradouro com a igreja. Afinal, você espera que esse grupo de sua confiança use seu precioso tempo para fazer a obra do ministério, recepcionar os visitantes, demonstrar hospitalidade, ensinar as crianças e evangelizar a vizinhança.

2. Novas igrejas podem ter menos credibilidade na comunidade.

Comunidades consolidadas são, às vezes, desconfiadas de novas igrejas. Uma igreja em plantação (especialmente uma com um nome bobo?) terá de trabalhar duro para ganhar credibilidade na comunidade. Pessoas que não estejam familiarizadas com o cristianismo evangélico (especialmente aquelas que vêm de um contexto católico romano) geralmente se surpreendem que alguém possa simplesmente armar uma tenda e começar uma nova igreja. Aos olhos de algumas pessoas na comunidade, vocês serão considerados uma seita até provarem o contrário.

Os relativos desafios da revitalização de igrejas

1. Igrejas mortas estão mortas por um motivo – haverá oposição.

Geralmente há uma boa razão pela qual uma igreja precisa ser revitalizada. Igrejas com freqüência mínguam em tamanho e em efetividade por causa de um evento traumático ou anos de liderança pobre. Como resultado, o prédio e os programas da igreja podem estar em ruínas – sem falar no estado espiritual da congregação em si. Nesses casos, haverá muito a superar e demolir a fim de levar a igreja adiante. Esse processo é, com freqüência, muito doloroso. Se a igreja já estivesse inclinada a fazer as coisas que igrejas saudáveis fazem, ela provavelmente não estaria morrendo. Encontrar uma igreja com problemas não é difícil. Encontrar uma igreja com problemas que deseje mudar e crescer é muito mais complicado.

2. Igrejas existentes às vezes têm uma má reputação na comunidade.

Embora seja verdade que novas igrejas às vezes sofrem pela falta de reconhecimento na comunidade, isso pode ser uma boa coisa. A reputação de igrejas mais velhas, muitas vezes, é um empecilho à sua revitalização. Pode ser que a igreja a qual você pretende revitalizar tenha uma reputação na comunidade devida a algum escândalo moral no passado, racismo ou uma institucionalizada falta de cordialidade. Se esse for o caso, o pastor que deseje revitalizar a igreja terá de trabalhar duro e ser paciente, a fim de mudar aquela impressão na comunidade.

As relativas vantagens da revitalização de igrejas

1. A revitalização proporciona um “leve-dois-pague-um” ao reino.

Assim como na plantação de igrejas, o esforço de revitalização estabelece uma nova presença do evangelho na cidade, mas ele também remove um mau testemunho. Se igrejas saudáveis dão uma declaração positiva acerca do evangelho à comunidade ao redor, igrejas moribundas enviam a mensagem negativa de que “Jesus e o seu povo são irrelevantes. Sigam em frente”. Quando uma igreja moribunda volta à vida, o mundo que lhe assiste vê um testemunho vibrante e dinâmico de Cristo, onde antes havia um antitestemunho.

2. A revitalização encoraja os santos da congregação moribunda.

Muitos dos membros de igrejas com problemas são crentes fiéis que estão profundamente comprometidos com a sua congregação. Eles têm persistido em meio a dias de escassez. Eles têm aparecido domingo após domingo, muito embora pouca coisa esteja acontecendo. Jesus ama essas ovelhas, mas elas geralmente não têm um pastor que se preocupa com elas. Quando uma igreja é revitalizada, esses santos com são muitas vezes encorajados e pastoreados de uma maneira nova. A fé deles é renovada e eles são novamente encorajagos à medida que servem o corpo em crescimento.

3. A revitalização possibilita aproveitar recursos pelo evangelho.

Muitas igrejas mortas estão sentadas sobre um tesouro escondido de recursos (terreno, dinheiro, equipamentos) que podem ser alavancados para o avanço do evangelho. Esses recursos estão apenas deixados à toa, não servindo ao reino para quase nada. Por uma questão de boa mordomia, igrejas evangélicas interessadas em plantação deveriam considerar a revitalização também. E, sejamos honestos, se não revitalizarmos essas igrejas, elas provavelmente passarão às mãos de igrejas liberais, mesquitas ou empresas de construção civil.

Então o que você deve fazer?

Então você deve buscar plantar uma nova igreja ou revitalizar uma igreja moribunda? Isso depende, em alguma medida, de seus dons, temperamento e oportunidades. Mas, antes de plantar uma igreja em uma comunidade, pode ser proveitoso investigar se há alguma igreja moribunda na área que se beneficiaria de sua ajuda.

Hits: 40648


O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações



Mike McKinley
Autor Mike McKinley

Mike McKinley (MDiv pelo Westminster Theological Seminary) é o pastor da Guilford Baptist Church, em Sterling, Virginia, e foi membro da equipe pastoral da...



9Marks
Parceiro 9Marks

O Ministério 9Marks tem como objetivo encorajar as igrejas e seus líderes a cultivarem um ministério saudável, através da...