• Envie para um amigo

    Favor Preencher
    Favor Preencher
    Insira um Email Válido
Artigo

O Que é a Perseverança dos Santos?

Richard P. Belcher 11 de Julho de 2002 - Teologia

1. A doutrina da perseverança é uma conclusão lógica dos quatro pontos anteriores do calvinismo.

Se o homem é totalmente depravado e não pode fazer nada para ajudar a si mesmo no que diz respeito às coisas espirituais; se Deus é absolutamente soberano na questão da eleição, fundamentada tão-somente em sua própria vontade; se a morte de Cristo realizou-se em favor dos eleitos, assegurando-lhes a salvação; e se Deus chama os eleitos de maneira irresistível, conclui-se que Deus assegurará a salvação final destes eleitos, ou seja, eles perseverarão até o fim.

Se os eleitos não perseverassem, a eleição eterna de Deus falharia, e isto o calvinista não pode admitir. Se Deus decretou a salvação dos eleitos, então, ela acontecerá, incluindo a salvação final dos eleitos.

Se os eleitos não perseverassem, a morte de Cristo seria uma falha, porque o seu desígnio era garantir a salvação dos eleitos.

Se os eleitos não perseverassem, a graça de Deus seria resistível pelos salvos (eles poderiam rejeitá-la de uma maneira final, depois de estarem salvos), embora a graça fosse irresistível antes de eles serem salvos.

2. A doutrina da perseverança é definida nos seguintes termos:

A perseverança dos santos é a doutrina que afirma que os eleitos continuarão no caminho da salvação (por serem eles o objeto do eterno decreto da eleição e por serem eles o objeto da expiação realizada por Cristo), visto que o mesmo poder de Deus que os salvou os preservará e os santificará até o final.

3. A doutrina da perseverança não descarta o afastar-se de Deus por parte do crente.

Esta doutrina rejeita a possibilidade de alguém professar ser crente e viver em um suposto estado de afastamento de Deus por muitos anos, sem enfrentar a mão disciplinadora de Deus; mas esta doutrina não descarta o afastar-se de Deus.

O afastamento de Deus pode ocorrer entre os crentes; todavia, a doutrina da perseverança diz que o verdadeiro crente não ficará permanentemente nesse estado. Se ele permanecer, tal crente deve colocar um grande ponto de interrogação ao lado de sua profissão de fé.

4. A doutrina da perseverança, de acordo com o calvinismo, não inclui a idéia do “crente carnal”.

Um “crente carnal”, conforme muitos o definem, é um crente que foi verdadeiramente salvo, mas está vivendo como um perdido. O “crente carnal” fez uma confissão de fé e viveu por um tempo como verdadeiro crente; agora, porém, ele se voltou para o mundo, e aqueles que o cercam no mundo e os membros da igreja não sabem se ele é um verdadeiro crente ou não. Somente Deus conhece o coração do “crente carnal”. Ele pode passar todo o resto de sua vida nesta condição; mas, por causa de sua experiência de salvação, ele estará com Cristo na eternidade. Ele é carnal, mas é um crente: ou, ele é um crente, mas é carnal. O calvinismo diria: não há salvação onde não há perseverança; e, onde há salvação, ali haverá perseverança.

5. A doutrina da perseverança inclui a segurança do crente; mas a segurança é somente um aspecto desta doutrina; a segurança pode deixar em seu rastro uma maneira de pensar e um viver falsos.

O ensino dos batistas de “uma vez salvo, salvo para sempre” é apenas um dos lados da moeda e, sendo apenas um dos lados da moeda, tal doutrina pode ser perigosa.

A doutrina da perseverança dos crentes, de conformidade com o calvinismo, tem dois lados — segurança e perseverança. Um não pode existir sem o outro. A doutrina batista da eterna segurança (uma vez salvo, salvo para sempre) tende a desprezar e negligenciar a necessidade de perseverança como prova da verdadeira salvação. Deste modo, se ensinarmos a segurança de salvação para um crente e não lhe ensinarmos a realidade da perseverança como prova da salvação, poderemos produzir o mesmo resultado da doutrina do “crente carnal” — pessoas que pensam ser salvas, mas não o são. A doutrina da segurança eterna sem a outra metade da moeda torna-se uma permissão de pecar para aqueles que apenas professam ter fé em Cristo, mas que nunca foram verdadeiramente salvos. A doutrina calvinista da perseverança dos santos tanto oferece conforto ao crente (ele está eternamente seguro) quanto proporciona realidade à sua confissão de fé em Cristo (o crente compreende que a perseverança na vida cristã é uma prova da salvação).

Hits: 43964


O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações



Richard P. Belcher
Autor Richard P. Belcher

Richard P. Belcher tem 35 anos de ministério. Possui doutorado em teologia, obtido no Seminário Teológico Concórdia, em Saint Louis e...



Conteúdos Relacionados

Não há conteúdo relacionado

Produtos Relacionados

Não há produto relacionado