• Envie para um amigo

    Favor Preencher
    Favor Preencher
    Insira um Email Válido
Artigo

Um pastor deve usar um iPad, iPhone ou uma cópia impressa da Bíblia para ministrar as Escrituras à congregação?

Brian Croft 18 de Julho de 2018 - Igreja e Ministério

Certamente os reformadores nunca tiveram que lidar com essa questão. No entanto, essa é certamente uma questão que enfrentamos atualmente e ela tem implicações importantes para a fecundidade do ministério de um pastor hoje. Assim como que essa questão entrou em cena como resultado de nossos crescentes avanços tecnológicos, assim também temos fortes opiniões sobre esse assunto. Muitas dessas opiniões nada mais são do que preferências. E, no entanto, ainda existem algumas questões pastorais que precisam ser consideradas se nós, como pastores nessa era tecnológica, desejamos evitar quaisquer distrações desnecessárias, de modo a sermos mais frutíferos e eficientes. Aqui está um modelo básico para cada pastor considerar ao determinar o tipo de recurso que usará enquanto busca ministrar a Palavra de Deus ao povo de Deus:

1) Considere a sua audiência

A idade de sua congregação é muito importante para discernir essas questões. Um pastor pode se sentar à beira do leito de uma pessoa enferma e ler a Palavra de Deus em um dispositivo eletrônico e ser encontrado lendo-a assim com alguém com menos de 40 anos, mais do que com alguém com mais de 40. Esse nem sempre é o caso. Só porque uma pessoa mais jovem provavelmente será mais “tecnológica” não significa que ler em um iPod não seja uma distração para tais pessoas, como seria para uma pessoa de 80 anos.

2) Determine o seu nível de confiança

Essas decisões precisam ser tomadas de acordo com o seu nível de confiança em relação às pessoas a quem você está ministrando. Quão bem você as conhece? Quão bem elas o conhecem e vão entender, até mesmo esperar que você use um Kindle quando ler a Palavra de Deus? Eu sugiro sempre errar por cautela. Se você está visitando uma viúva de 80 anos que não possui um computador de qualquer tipo e ainda não sabe o que é a Internet (acredite, tais pessoas ainda existem e se orgulham disso), é provavelmente melhor ter sempre uma cópia impressa da Palavra de Deus para ler com ela. Ela pode pensar que você está tentando enganá-la, se não puder ver a “Bíblia Sagrada” impressa em sua frente.

3) Conheça o seu contexto

Tomar essa decisão não se baseia apenas no engajamento da pessoa, mas nos lugares em que você ministra onde os outros podem estar por perto. Penso que hospitais, funerárias e ambientes tradicionais semelhantes, onde muitos tipos diferentes de pessoas com diversas origens e idades estarão envolvidas, precisam ser devidamente avaliados. Os pastores precisam perceber que alguns podem interpretar o aparelho eletrônico que você “funciona como um substituto da Bíblia” e como uma distração. Pense nos incrédulos presentes que podem se perguntar o que você está lendo. “Você poderia estar lendo qualquer coisa naquilo. Como eu sei que é a Bíblia?”. Por outro lado, em seu pequeno grupo de estudo bíblico composto de estudantes universitários, onde todos estão lendo em um Kindle ou iPod… uma Bíblia física pode parecer estranha para eles.

4) Acautele-se do legalismo

Como muitos pastores possuem as suas próprias opiniões sobre esse assunto, cada um de nós precisa evitar ser legalista sobre essa questão. A Palavra de Deus não é menos Palavra de Deus em forma impressa envolto em uma capa colorida bem elegante com uma cruz gigante na frente, ou na versão bem pequena em seu celular. Vamos evitar que isso se torne a próxima controvérsia “somente a Bíblia versão King James” [King James only] e simplesmente o consideremos como de fato é: uma preferência. Contanto que seja uma tradução confiável da Bíblia e uma cópia impressa ou eletrônica confiável e autorizada dessa tradução (da qual existem muitas)... é a Palavra de Deus. Não o torne um problema maior do que deveria ser.

5) Confie na fonte

Nossa eficácia em ministrar ao nosso povo, finalmente, nada tem a ver com os meios pelos quais a lemos, desde que seja a inerrante, infalível e poderosa Palavra do Deus vivo. Deus, pelo seu Espírito e pela sua palavra viva e eficaz, é quem transforma e impacta as pessoas. Ministre essa palavra e não confie muito nos “instrumentos” pelos quais você lê, mas o faça de um modo criterioso que evite qualquer distração de Deus operando o que ele faz através de sua palavra na vida do seu povo quando os seus pastores a pregam fielmente para o bem das almas.

Ultimamente, tenho feito uma leitura regular da Bíblia em meu iPad mini, mas você sempre me encontrará com uma cópia impressa da Palavra de Deus ao entrar em uma casa funerária, quarto de hospital ou lar de um santo mais idoso. Atualmente, você não me encontrará usando meu iPod quando pregar, não por qualquer princípio teológico, mas devido ao meu medo de confiar demais na tecnologia. Cada pastor precisa determinar o seu próprio nível de conforto para incluir as bênçãos da tecnologia como deveríamos, mas também deve ficar atento a qualquer percepção não proveitosa que exista e possa atrapalhar os seus esforços para cuidar das almas.

 

Tradução: Camila Rebeca Teixeira.

Revisão: William Teixeira.

Original: Should a pastor use an iPad, iPhone, or printed copy of the Bible to minister Scripture to people?

Hits: 3286


O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações



Brian Croft
Autor Brian Croft

Brian Croft é o pastor efetivo da Auburndale Baptist Church em Louisville, Kentucky. Ele também é autor de "Visit the Sick: Ministering...



Practical Shepherding
Parceiro Practical Shepherding

O ministério Practical Shepherding fornece conteúdo centrado no evangelho que visa equipar pastores e líderes nas questões práticas...